Livros sobre numerologia de Luiz Alexandre Jr. revelam o acesso ao ser e ao tempo e preparam o leitor para a “Numerologia do Amor”

Os dois títulos já publicados “Numerologia – a Chave do Ser”e “Numerologia do Tempo” serão lançados em inglês e transformados em e-books em 2014

Desde 2002, o filósofo e pesquisador Luiz Alexandre Jr. dedica-se a escrever livros sobre a Numerologia, onde defende a relação estreita entre a ciência dos números e a espiritualidade. Os dois títulos já publicados “Numerologia – a Chave do Ser” e “Numerologia do Tempo” trazem informações essenciais para a compreensão da próxima obra, que completa a trilogia sobre o tema: “A Numerologia do Amor”.

Numerologia – a Chave do Serpublicado em 2002 pela Editora Talento, trata da numerologia como a chave para o conhecimento do ser. O livro revela que o nome é um código passado à mãe pelo espírito reencarnante, antes mesmo do nascimento. E ensina como interpretar parte da gama de informações trazidas por esse código, a simbologia numerológica e como cada número age e interfere no comportamento humano e nas relações sociais.

O segundo livro, “Numerologia do Tempo” (Editora Talento, 2007), mostra ao leitor como é possível vivenciar o que há por trás das interpretações numerológicas, oferecendo uma configuração prática, que apresenta os cálculos diários para cada indivíduo, cada data de nascimento e cada destino. O algo a mais está na descoberta de informações do mentor de cada leitor; do Calendário Pessoal, que se estende até 2016; e a possibilidade de identificar as forças negativas e positivas que atuam diariamente sobre os indivíduos.

Para Luiz Alexandre Jr., o grande diferencial desse livro é que é o primeiro no mundo a trazer efemérides pessoais e portais. “As efemérides são marcações diárias de energias que influenciam nosso caminho e nossa mente”, explica o autor. Segundo ele, são as previsões ou elenco de possibilidades que nos acontecem ano a ano, mês a mês, dia a dia, em todos os momentos da nossa existência. “Neste livro, as marcações ou previsões vão de 2012 a 2016 e estão diretamente ligadas às nossas atividades materiais, como trabalho, amor e família, e espirituais, como intuição, inspiração e sonhos”.

O autor explica ainda porque considera importante que as pessoas obtenham informações sobre o mentor e as forças positivas e negativas que nos cercam diariamente. “Os oráculos são usados para saber o futuro. O que chamamos de futuro é um plano de trabalho estabelecido por nós mesmo antes de chegarmos a nossa existência atual. O Mentor é o espírito protetor que testemunha nosso acordo e nos acompanha durante a vida encarnada, enviando ondas mentais diárias para que possamos fazer as escolhas corretas”.

Os dois títulos serão lançados ainda em 2013 em inglês e também transformados em e-books e, em breve, estarão disponíveis para compra online.

Trilogia: O Ser, O Tempo e o Amor na Numerologia

Luiz finaliza agora o esperado “Numerologia do Amor, completando a trilogia, que será lançado em 2014, pela recém criada Editora Griot. Segundo o autor, o livro traz o olhar de quem tem como premissa a reencarnação, vê a vida como um plano de trabalho e usa a numerologia como prova matemática desta verdade.

Depois de ter passado pela Chave do Ser e do Tempo não poderia continuar a escrever minha obra de numerologia sem antes falar do amor e dos relacionamentos que supostamente derivam dele. Alerto o fato de que assim como ocorreu com os livros anteriores, este livro é produto da minha inquietação, não rivaliza com nenhum saber seja laico ou comum e nem quero com isto desanuviar os que acreditam piamente nos amores, casamentos e reencontros de almas gêmeas. Embora saiba que é exatamente o que acontecerá com você leitor após ler este livro e refletir sobre as especulações que deixo impressas nele”, diz Luiz Alexandre Jr. sobre o polêmico terceiro título.

Sobre o autor

Luiz Alexandre Jr., 49 anos, é filósofo, pesquisador, escritor, numerólogo e espiritualista. Autor dos livros “Numerologia – A chave do Ser” (Editora Talento, 2002) e “Numerologia do Tempo” (Talento, 2007), Luiz Alexandre é presidente do Cecure – Centro de Estudos, Pesquisas Aplicadas e de Terapias de Cura Espiritual, fundado em 2009 em São Paulo,  e do Templo da Liberdade Tupinambá em Paraty-RJ, fundado em 2011. 

https://www.facebook.com/numerologiadoser

https://numerologiadoser.wordpress.com/

Serviço

Livros de Luiz Alexandre Jr.

Numerologia – a Chave do Ser” (2002, Editora Talento) – R$ 35,00

Numerologia - A chave do ser (2002)

Numerologia – A chave do ser (2002)

Numerologia do Tempo” – 2ª edição estendida (2007, Editora Talento) – R$ 44,00

Numerologiao do Temp 2

Onde encontrar:

Site da Livraria Cultura e outras livrarias online

Diretamente com Editora Griot – editoragriot@hotmail.com

 

Dezembro, 2013

Informações para a imprensa:

FEED – Imprensa, Mídias Sociais e Comunicação

Iara Camargo – iara@agenciafeed.com

F: (11) 99275-6317

 

NUMEROLOGIA DO AMOR

Muitos anos se passaram e eu tentando criar coragem para escrever algo que pudesse maldizer o amor dito, vivido e revivido. Uma tábua rasa para depois bendizê-lo. Era obrigação de ofício e caminho natural de quem vive diariamente ouvindo histórias de desamores, almas gêmeas e não tão gêmeas assim. Mas, tamanha blasfêmia para ser dita e sustentada teria que se pautar em algo além do bem e do mal, incrível contraposição. Pois somente o amor está acima do bem e do mal. Ensaios e rasgos de folhas já se tornavam cotidianos quando fui salvo por Chico e Djavan: “… quis saber o que é o desejo e de onde ele vem, fui ao centro da Terra e é mais além, procurei uma saída, o amor não tem.” A inspiração deles libertou e encorajou minha mente a concluir o óbvio: eu também não tinha saída. Depois de ter passado pela Chave do Ser e do Tempo não poderia continuar a escrever minha obra de numerologia sem antes falar do amor e dos relacionamentos que supostamente derivam dele. Alerto o fato de que, assim como ocorreu com os livros anteriores, este livro é produto da minha inquietação, não rivaliza com nenhum saber seja laico ou comum e nem quero com isto desanuviar os que acreditam piamente nos amores, casamentos e reencontros de almas gêmeas. Embora saiba que é exatamente o que acontecerá com você, leitor, após ler este livro e refletir sobre as especulações que deixo impressas nele. O que trago aqui é tão somente o olhar de quem tem como premissa a reencarnação, vê a vida como um plano de trabalho e usa a numerologia como prova matemática desta verdade.

Meu lado virginiano, racional e pedante com certeza iria preferir refletir sobre o amor sentado lendo o banquete de Platão, passear despretensiosamente pelo discurso amoroso de Roland Barthes ou se entorpecer pela apaixonante eloqüência dos poetas românticos como Casimiro de Abreu. Mas meu lado espiritualista/anarquista prefere mesmo é a lucidez cirúrgica de filósofos como Sponville, a traidora alma imoral de Nilton Bonder ou até mesmo o inquietante mimetismo Girardiano, escancarando os mediadores da paixão humana. Associo a isto a inequívoca prova que as rugas deixam estampadas no rosto de cada pessoa que expõe seu infinito particular na tentativa de encontrar no outro o que não vê nele mesmo, ou, simplesmente, infernizar as mentes humanas dizendo que tudo isto não passa de uma experiência bem sucedida da indústria cultural, que nos faz acreditar que exista uma cara metade para cada um e nós esperando ser encontrada e que relacionamento seja mais do que cumprimento regulado das necessidades sexuais.

Para irmos além do lugar comum ou buscar respostas que satisfaçam nossa curiosidade sobre o tema é lícito nos perguntar sobre a origem das relações ou deste decantado amor entre homens e mulheres e seus derivados cada vez mais explícitos. Não seria possível entender o tema sem responder às questões crucias ou inserir nesta questão os pressupostos que antecedem gostar ou não de alguém, que é a própria vida. Por outro lado, a vida tal como a conhecemos depende exclusivamente do acasalamento dos seres, pouco importa se com o sem amor, a função biológica nos faculta a capacidade de gerar vida e, até que as condições aqui na Terra nos permitam, faremos isto indefinidamente no tempo/espaço. Esta linha tênue nos faz supor que vida, relacionamento e amor podem estar intrinsecamente ligados e que este elo é o que nos fará entender como realmente elas e, obviamente, nós funcionamos.

Como estudante e praticante de numerologia aprendi que sou um espírito que já reencarnou diversas vezes aqui na Terra e que a vida se processa repetidamente do berço ao túmulo e dele de volta ao berço. Nestas idas e vindas da história terrena vou atestando que deixamos entre outras coisas relações mal resolvidas (trabalho, relacionamento, família, amigos, etc.), situações inacabadas, mágoas, felicidades, saudades e paixões que levam na maioria das vezes inúmeras encarnações para se ajustarem e resolver.  Cada vez que alguém senta diante de mim para abrir seu livro da vida e me pergunta sobre esta ou aquela pessoa, este ou aquele emprego, este ou aquele caminho, me vem sempre à mente histórias e erros que se repetem e apegos que não deixam largar coisas que não servem e nunca serviram. Concluí que sofremos e continuaremos a sofrer simplesmente porque desejamos coisas que não pertencem à nossa missão atual e que, por apego a memórias do passado e infantilidade espiritual, prendemos no nosso pensamento e nas nossas ações pessoas lugares e situações que já deviam estar livres ou extirpados do nosso caminho. “… Possuímos qualidades, sentimentos, ideias, disposições, impulsos, traços de caráter que duram e se conservam; outros que passam e se transformam. Entre o passar e o durar oscilam, de um lado, as coisas do mundo; de outro, a existência de nós mesmos. Se buscamos o que dura, não escapamos ao que passa; e se passamos no que não dura, continuamos a durar no que não passa. Nem sempre está em nossas mãos impedir que passe o que queremos que dure, ou fazer que não dure o que já devia ter passado; e muito menos compelir a passar o que prossegue durando…”.

Por esta dinâmica e pelos milhares de consultas realizadas ao longo destes 25 anos, fui percebendo que nem a morte nem tão pouco o afastamento provocam por si só a resolução do problema. Ninguém avança sem pagar sua dívida, ninguém evolui sem resolver as sobras do passado. Conhecimento, perdão e desapego parecem ser nestes casos os únicos ingredientes de uma boa ação diante dos obstáculos dos relacionamentos na busca do amor e no entendimento da vida. Pauso para expor ainda um sentimento que me domina também nestes anos – o de que o Amor não pertence a este mundo e quando muito às mínguas temos espíritos notadamente além do comum trazendo uma mensagem que nos inspira a abstrair lampejos que indicam ser o que chamamos de Amor. Nada mais! A história da humanidade e as que se compõe no universo micro dos chamados amantes nem de longe deixa transparecerem que exista tal sentimento. Somos indivíduos que almejamos a luz, mas insistimos em ter atitudes que nos deixam nas sombras; reclamamos de não ser felizes, no entanto quase sempre semeamos sofrimento; queremos ser amados e na maioria tempo incentivamos as separações afastando quem não nos interessa e nos sentimos injustiçados quando recebemos do outro a mesma atitude; aconselhamos todo tempo que o outro seja forte, confiante em si e exigimos pessoas de fé ao nosso lado, mas no nosso íntimo duvidamos de nós e nos entregamos à depressão oculta quase sempre e por fim, somos benevolentes com os escolhidos: parentes, filhos e amigos para logo em seguida sermos carrascos ou indiferentes a qualquer outro que não pertença a este círculo.

Paralelamente a este turbilhão de contradições, somos inclinados a reconhecer que tal faceta dos comportamentos é resultado do processo cultural, ou seja, do que nos foi ensinado. Matrimônio, casamento, relacionamento e família não são construções biológicas, mas culturais. Portanto, o que eu, você e outro sentimos é na verdade representação de uma ideia construída ao longo da história. Eu não amo esta ou aquela (e), eu me condicionei a achar que amo esta ou aquela (e). Durante muito tempo esta perspectiva consumiu meus pensamentos, o que me fez questionar e ampliar as possibilidades de analisar isto através da numerologia e investigar qual a importância dos relacionamentos na chamada vida espiritual e seu grau de importância nos processos reencarnatórios. Convicto de que os relacionamentos são uma construção cultural que variam de contexto para contexto e de tempos em tempos, seria lógico supor que no terreno espiritual o amor, o sexo e os relacionamentos são ainda um território inexplorado que muito tem de ser explicado. Explicações que contemplem a organização das falanges, os gêneros (homem e mulher), família, grau de parentescos, tabu de incesto, herança e cruzamentos genéticos, bissexualismo, homossexualismo, monogamia, poligamia, poliandria, triângulos e avassaladora onda “dionística” que traz consigo drogas, orgias a todo canto e beco da sociedade deste início de século XXI. Nas esferas dos saberes espirituais que hoje aliam o sagrado e profano, estes assuntos ainda ficam nas entrelinhas, como um tabu, um incômodo, uma indigestão, mas basta olharmos ao redor e ouvir o que se corre a boca pequena para perceber que a relação entre os jovens da nossa sociedade atual mudou e eles se habituaram as estas mudanças como se elas sempre existissem. Neste livro, tento mostrar em linguagem numerológica os mediadores da relação dos amantes, ou seja, as razões dos encontros, desencontros e dos destinos de cada relação. O que é e o que não é nosso, para evitar, quem sabe numa próxima encarnação, que continuemos a passar por aqui na Terra desejando flor, mas correndo atrás de pedra…

Luiz Alexandre Jr.

Numerologia do Amor

cards

Trilogia: O Ser, O Tempo e o Amor na Numerologia

Desde 2002, Luiz Alexandre Jr. dedica-se a escrever livros sobre seus estudos sobre a numerologia. O primeiro livro trata-se da numerologia como a chave para o conhecimento do ser.

Numerologia – A chave do ser”, Editora Talento, 2002

numerologia-a-chave-do-ser-luiz-alexandre-junior-novo_MLB-F-4687561198_072013                      

 “Sempre me incomodou e eu sempre rechacei a palavra “esotérico” ou a expressão “ciências ocultas”. Para mim, o “oculto” não existe. Tudo está posto na natureza (material e espiritual). O conhecimento é como uma onda que está solta viajando a nossa volta e por todo o Universo. Ele está disponível para quem quiser pegá-lo. Não há necessidade de ser mágico ou guru; não precisa ser iluminado ou o escolhido, tampouco apelar para a divindade suprema. Basta apenas ler o mundo com todos os mecanismos de que dispomos.” Luiz Alexandre Jr. (Numerologia – A Chave do Ser)

No segundo título sobre numerologia, o tempo é o tema central. A primeira edição foi lançada em 2007 e revisada para uma versão definitiva, publicada em 2012.

Numerologia do Tempo, Editora Talento, 2012. Numerologiao do Temp 2

“Todos os dias me deparo com pessoas que em sua maioria estão em desacordo com sua missão. Veem-se de mãos atadas e, nesse estágio de suas vidas, quase sempre carreiras, empregos, famílias, amores, amigos, casa etc. não fazem sentido. Chegam à conclusão de que hoje sua vida poderia ser diferente e melhor, caso tivessem levado em conta as outras centenas de possibilidades que se apresentaram no momento da escolha. Sentem também que suas múltiplas habilidades estão sendo desperdiçadas e se perguntam: como reverter cada escolha feita no passado e sair dessas situações sem ferir a si mesmo e aos outros? Como passar pelo medo da solidão e do fantasma do impacto financeiro que cada atitude pode trazer? Há o momento e a hora certa para rever tal escolha? O que fazer com o tempo restante da minha existência?”

Luiz Alexandre Jr. (Numerologia do Tempo)

Luiz finaliza agora o esperado Numerologia do Amor, completando a trilogia, que será lançado em 2014 pela recém criada Editora Griot.